Naffarin

"Pelo menos sabemos que ‘vrú’ significa ‘sempre’

O Naffarínos cutá vu navru cangor luttos ca vúna tiéranar, dana maga tíer ce vru encá vún’ farta once ya merúta vúna maxt’ amámen.

O significado desta estranha frase provavelmente está perdido para sempre, exceto que a palavra vru, ou vrú, significa "sem- pre". Este é o único exemplo que Tolkien fornece do naffarin (MC: 209), o idioma particular mais sofisticado que ele come-  çou a desenvolver quando o nevbosh morreu. De fato, o naffarin parcialmente sobrepôs os últimos estágios do nevbosh. Ao contrário do nevbosh, o naffarin nunca foi partilhado com outros; não parece que o jovem Tolkien sequer tenha tentado ensinar seus amigos. Ele observa que teria gostado de propagá-lo, mas nunca o fez – provavelmente por pensar que ninguém estaria interessado. Parece que o naffarin era apenas um idioma e carecia de uma mitologia para acompanhá-lo. Apesar de tudo, ele representou um grande salto à frente: no caso do naffarin, o adolescente Tolkien pela primeira vez criou um idioma inteiro ao unir som e significado de acordo com suas próprias preferências ao invés de alterar palavras a partir de línguas existentes. Em nevbosh, apenas algumas das palavras eram deste tipo, como lint "rápido, ágil" (que bem pode ter sido uma das palavras que foram adotadas no naffarin a partir do nevbosh; ela sobreviveu até mesmo no quenya!) Tolkien menciona vrú "sempre" como "uma associação curiosamente predominante em meus idiomas, que está sempre abrindo seu caminho à força (um caso de fixação primitiva de associação individual, creio, do qual agora não se pode livrar)" (MC: 209). Em quenya ela aparece como voro "sempre, continuamente" (LR: 353).

O estilo fonético geral do naffarin foi inspirado pelo latim e pelo espanhol. Tolkien evitou deliberadamente certos sons ingleses, tais como w, th e sh. Mas nunca saberemos mais sobre o naffarin do que isto, pois Tolkien nos informa que "faz muito tempo que desde que ele foi insensatamente destruído" – e isto foi escrito por volta de 1931. Ainda assim já vemos uma aproximação com as formas élficas; o gosto linguístico de Tolkien estava amadurecendo. Muitas das palavras, embora não todas, poderiam ter sido do quenya até o ponto em que vai o estilo e estrutura: a forma mais primitiva de "qenya" estava apenas alguns anos distante – e dificilmente pode-se falhar em notar que a própria palavra "naffarin" possui a desinência –rin também vista nos nomes de tantos idiomas posteriores: sindarin, vanyarin, valarin, telerin etc.  

Lista de palavras do naffarin

Para dar consistência ao que de outra forma teria sido uma lista bem pouco informativa, eu menciono formas élficas tardias parecidas com as palavras em naffarin, mas isto é apenas para demonstrar que Tolkien já estava se aproximando do "estilo" élfico característico e não uma tentativa de adivinhar o que as palavras do naffarin realmente significam, exceto no caso de navru.
  amámen ??? (quenya Aman "o Reino Abençoado")  ca ???  ce ??? (quenya *ce "você" – uma tentativa de reconstrução baseada nas desinências sindarin –ch, –g e a acusativa tye, que pode representar *kye mais primitiva. Mas a forma em quenya também pode ser *ci.)  cangor ??? (radicais élficos KAN "ousar", GOR "violência, impulso, pressa", LR: 362, 359)  cutá??? (quenya cua "pombo", "arco", cúma "o Vazio")  dana ??? (sindarin danath "nandor", os elfos que não cruzaram as montanhas na marcha a partir de Cuiviénen)  encá ??? (quenya enta "longínquo".)  farta ??? (radical élfico PHAR "alcançar, bastar, ir todo o caminho", LR: 381)  luttos??? (quenya lusta "nulo, vazio", radical élfico LUT "flutuar, boiar", quenya luntë "barco")  maxt??? evidentemente uma forma elidida de *maxta, na medida em que a palavra seguinte começa em  a. (quenya maxa "flexível, suave", masta "pão")  naffarin naffarin, nome do idioma, etimologia desconhecida. (Cf. nomes de idiomas tardios como sindarin, vanyarin etc.) naffarínos evidentemente uma forma declinada de naffarin ou de uma palavra composta incuindo-a.  navru ??? pode incorpor vru, vrú "sempre". Em élfico tardio, NA é o radical de palavras como "a" e "para", assim, navru pode significar "para sempre". o ??? (sindarin o "de, desde")  once ??? (radical élfico ONO "gerar", quenya onta– "gerar, criar", onna "criatura")  tíer ??? Cf. tiéranar? (quenya tier pl. de tie"caminho".)  tiéranar??? (quenya tie "caminho", Rána um nome da Lua)  vru ou vrú "sempre". (MC: 209) (quenya voro"sempre".) Cf. navru.  vu ??? (radical élfico "junto", quenya ve "como")  vún’ evidentemente uma forma elidida de vúna abaixo.  vúna ??? Cf. ?  ya ??? (quenya yapronome relativo "que, qual")

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um site Valinor